Hormônio Masculino do Cansaço e Stress no Homem

Em Maio de 2014, o Sr. I. P., consultor, 38 anos, casado e sem filhos, nos procurou com as seguintes queixas: “- Dra., estou cansado e sem vontade de trabalhar. Trabalho no departamento comercial de uma multinacional e estou muito estressado. Tudo me irrita. Me aborreço facilmente. Já acordo cansado e estou contando quanto tempo falta para me aposentar! No fim do dia já estou sem energia. A minha vontade para o sexo já não é a mesma. Acordo 2 vezes durante a madrugada. Não evacuo diariamente. Tenho um zumbido direto no ouvido. Tomo remédio para tireoide. Minhas pálpebras incham e ficam vermelhas. ”

 

O exame de sangue demonstrou que a dosagem do remédio para a tireoide estava inadequada. Seus níveis de vitaminas, Hormônio Masculino e outros hormônios estavam baixos.

 

Iniciamos Dieta + uso de Vitaminas + Tratamento das deficiências hormonais + Exercícios + Coaching para Controle do Stress.

 

Em Agosto de 2014: “-Estou mais disposto para o trabalho, para o exercício e para o sexo (aumentaram minhas ereções matinais)! Melhorou minha concentração. Estou dormindo melhor. Estou evacuando diariamente. Não tenho mais zumbido no ouvido. ”

 

Em Dezembro de 2015: “-Estou me sentindo muito bem. Estou mais disposto para lidar com o stress. Ganhei até uma promoção! Agora sou o sócio mais novo da empresa. Não penso mais em me aposentar. Estou mais motivado. Minha pele está mais hidratada. Nunca mais tive alergia nas pálpebras. Estou treinando com personal 3 vezes por semana. Minha vontade para o sexo aumentou, e minha esposa gostou. Tenho ido para a praia relaxar quase todo fim de semana. ”

 

O colesterol ruim abaixou de 181 para 112, o colesterol bom subiu de 35 para 44. Os triglicerídeos abaixaram de 342 para 144. Os níveis de hormônios e de vitaminas normalizaram. O ácido úrico abaixou de 7,1 para 5,2. Os níveis de Hormônio Masculino aumentaram de 176 para 306.

 

Neste período de desaquecimento da economia brasileira, como é que podemos enfrentar os desafios sem saúde e disposição?

 

Que bom que este jovem executivo foi proativo e resolveu procurar ajuda médica qualificada para melhorar sua performance.

 

É de saúde que o Brasil precisa neste momento. Saúde, disposição e determinação para arregaçarmos as mangas e trabalharmos, para que nosso país volte a crescer.

 

Infelizmente, aqui no Brasil alguns colegas mal informados fazem o diagnóstico de fadiga adrenal e indicam um tratamento que pode ter consequências desastrosas para a saúde do paciente.

 

A Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia se pronunciou neste comunicado sobre o assunto:

 

http://www.endocrino.org.br/media/uploads/fadiga_adrenal_-_sbem_2016_-_final.pdf

 

“Entretanto, os defensores da ‘fadiga adrenal’ eventualmente recomendam ‘suplementos de hormônio adrenal’ (hidrocortisona, prednisona, prednisolona, dexametasona, entre outros), principalmente sob a forma de ‘fórmulas magistrais’ (preparadas em Farmácias de Manipulação). Neste caso, isto pode ser perigoso e trazer importantes consequências para a sua saúde.”

 

“O uso inadequado de corticosteroides pode estar associado à alguns efeitos adversos (alguns deles extremamente graves), como aumento da pressão arterial sistêmica, ganho de peso, aumento da glicose no sangue, alterações no humor (como depressão e/ou ansiedade), redução na massa óssea (osteoporose), entre outros.“

 

Por favor, desconfiem de um diagnóstico de Fadiga Adrenal e tenham muita cautela a iniciarem um Tratamento Hormonal.

 

Peçam sempre a opinião de um médico associado à Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.

Categoria: Depoimentos